Brasil renunciará a 30% do imposto IPI em automóveis colombianos

O Brasil concordou em permitir as importações de veículos e peças de automóveis colombianos sem um imposto de produtos industriais (IPI) de 30% como parte de um pacto automático bilateral em negociação durante as negociações comerciais do Mercosul com os países da Costa do Pacífico da América Latina, um governo brasileiro fonte na sexta-feira.

A fonte na reunião comercial em Buenos Aires disse que os detalhes finais ainda estavam sendo elaborados com a Colômbia, um mercado cada vez mais importante para as exportações de automóveis do Brasil, que estão ajudando a indústria a se recuperar após uma recessão de quatro anos.

Fabricação de carros no Brasil

Os automóveis não Mercosul pagam o imposto do IPI, bem como outro imposto de importação de 35% a ser vendido no Brasil.

“Concordamos em dar à indústria automobilística colombiana o mesmo tratamento preferencial dado à indústria argentina”, disse a fonte. “Seus carros não pagarão o imposto IPI de 30 por cento”.

O acordo ajudará as exportações brasileiras para a Colômbia com tratamento recíproco que ainda estava sendo elaborado, acrescentou a fonte. O acordo com a Colômbia começaria em 1 de janeiro de 2018.

Separadamente, em Buenos Aires, Argentina e Colômbia concordaram em eliminar impostos sobre o seu comércio automotivo, permitindo que a Argentina venda a Colômbia até 12.500 veículos sem impostos por ano, chegando a 42 mil em quatro anos, disseram funcionários de ambos os países.

IPVA RJ

O Brasil era o quarto maior mercado de automóveis do mundo, e a produção de automóveis representava um quinto da produção industrial e cerca de 5% do PIB antes de uma devastadora recessão de 2015-16 devastar sua economia.

Impulsionado por exportações fortes que subiram 73 por cento nos primeiros dois meses deste ano e expectativas de recuperação de vendas, as montadoras no Brasil aumentaram a produção em fevereiro.

Atualmente, as exportações de automóveis do Brasil concentraram-se no estado do RJ, mas os fabricantes de automóveis estão empenhados em melhorar o acesso a mercados como o Peru e a Colômbia. O grupo da indústria Anfavea diz que está vendo maiores vendas em toda a América Latina.

Os ministros dos Negócios Estrangeiros e do Comércio reunidos em Buenos Aires discutiram na sexta-feira maneiras de trazer a união aduaneira sul-americana formada pela Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai mais perto dos países de comércio livre da Aliança do Pacífico, que incluem o Chile, Peru, Colômbia e México.

Carros mais caros do mundo

O Brasil tem alguns dos carros mais caros do mundo. Isto é um fato. O mesmo carro vendido no México para Real 25.800,00 (equivalente a US $ 15.300,00) é vendido aqui para Real 56,210.00 (US $ 33.310,00). Surpreso? Vejamos alguns dos principais motivos.

Os altos impostos são baixos para o que chamamos no Brasil “Custo Brasil”, que se traduz literalmente como “custo brasileiro” – a alta receita tributária adicionada ao custo de capital que impõe a produção. O resultado do veículo do país levanta uma questão interessante: no final de 2010, o Brasil era o quinto maior fabricante de veículos do mundo e o quarto maior mercado de consumo, com uma produção anual de mais de três milhões de unidades. https://www.facebook.com/carrosd0brasil/posts/2008710682691966

De acordo com Cledorvino Bellini, presidente da Associação Nacional de Fabricantes de Automóveis (ANFAVEA) do Brasil, apesar de a produção total ter aumentado, esse total inclui o resultado de mais de 20 empresas diferentes, de modo que a escala permanece baixa. Bellini afirma que um total de produção de cinco milhões de veículos por ano seria necessário para reduzir os preços ao consumidor.

This entry was posted in Serviços. Bookmark the permalink. Both comments and trackbacks are currently closed.